Saiba Mais: Ovos

dezembro 27, 2008

Como escolher, conservar e usar

Os ovos são formados por três partes: casca, clara e gema. A casca é frágil e porosa. Na parte interna há uma membrana finíssima aderida à casca que não é assimilada pelo organismo. Na extremidade arredondada do ovo essa membrana se desdobra formando uma pequena câmara de ar, pela qual se pode reconhecer se o ovo está fresco ou não. Quanto mais velho o ovo, maior a câmara de ar. É por isso que se verifica o frescor do ovo mergulhando-o em um copo com água: se o ovo afundar está fresco, se boiar está velho. O ovo fresco apresenta clara viscosa e firme, a gema em posição central, redonda e sobressalente.
A cor da casca varia do branco até o marrom escuro. De acordo com a raça da ave, pode apresentar-se rósea ou mesmo azulada. Não há relação entre a cor da casca e o valor nutritivo, sabor ou qualidade do ovo. A cor da gema, em grande parte, é influenciada pela alimentação da galinha.
O ovo de galinha é o mais utilizado na alimentação humana. Ovos de codorna também podem ser encontrados no comércio. Os de outras aves, como pata e marreca, são usados em escala bem reduzida. Os de peixe, conhecidos como ovas, podem ser encontrados frescos ou em conserva. É o caso do caviar (ovos de esturjão), vendido enlatado.
Não se deve consumir ovos crus pelo risco de contaminação com salmonela. O cozimento mata a salmonela e torna o ovo seguro para o consumo.
Quando for cozinhar o ovo com a casca, prefira usar o ovo à temperatura ambiente. Se for usar ovos gelados, ponha-os em uma panela com água à temperatura ambiente e leve para cozinhar em fogo baixo, para que a casca não se rompa. Depois que a água ferver espere de 10 a 15 minutos para que o ovo fique completamente cozido.
Quando for usar o ovo em receitas de pães e bolos, use o ovo à temperatura ambiente, posto que a utilização de ingredientes gelados inibe a ação do fermento, o que faz com que a massa cresça menos e fique menos macia. Para evitar que isso aconteça, retire os ovos da geladeira na véspera de fazer a receita ou, ao menos, algumas horas antes. Se não houver tempo hábil para aclimatar os ovos e houver algum líquido a ser adicionado na recieta (tal como água ou leite), use-o morno. Também é possível colocar os ovos gelados de molho por cerca de 15 minutos em água morna antes de usar na receita, mas tome cuidado, pois se usar água quente demais os ovos podem cozinhar.
Não compre ovos com rachaduras, mesmo que pequenas, pois elas permitem a entrada de microorganismos que contaminam o ovo e se proliferam em seu interior. Se o ovo foi comprado intacto, mas sua casca rachou durante o transporte, use-o imediatamente ou descarte-o (jogue-o fora).
Os ovos não devem ser guardados na porta da geladeira posto que seu movimento constante é prejudicial a conservação dos ovos, além disso, a porta é um dos lugares mais quentes da geladeira. Ao comprar os ovos, retire-os da embalagem e coloque-os em um recipiente plástico (sem tampa) e guarde-o na primeira prateleira da geladeira, onde é mais frio.

Propriedades e benefícios à saúde

Contém vitamina B12 (cianobalamina). Essencial para o crescimento, ela combate a anemia e melhora a memória e a concentração. Sua falta está associada a degenerações neurológicas que, em casos extremos, podem levar à paralisia progressiva. Suas fontes são exclusivamente alimentos de origem animal (carne, leite, ovos).
A gema de ovo contém vitamina E que previne doenças cardiovasculares, combate os radicais livres, retarda o envelhecimento, alivia a fadiga, ajuda o corpo a aproveitar a vitamina A, protege os glóbulos vermelhos e fortalece o sistema imunológico.
Contém vitamina B3 (niacina) que previne dores de cabeça, principalmente as da enxaqueca, e facilita a digestão.
Contém fósforo, que junto com o cálcio, ajuda a construir o esqueleto, protegendo contra a osteoporose, melhora a resistência orgânica e reduz a sensação de fadiga, por participar da geração de energia no corpo e ativa muitas vitaminas do complexo B.
Contém Lisina, que é uma das peças fundamentais para a composição do colágeno, proteína que ajuda a sustentar os tecidos do organismo e participa da composição dos ossos.
Contém altas doses de colina, substância essencial para o sistema nervoso, que estimula a memória e a concentração.
Contém zeaxantina e luteína, que protegem a visão, prevenindo problemas como a catarata.
É de fácil digestão.
Do ponto de vista nutricional, o ovo é quase tão completo quanto o leite materno. Rico em zinco, selênio, ferro, sódio, potássio, vitaminas A, E e as do complexo B. Recomendado o seu consumo por grávidas, atletas, crianças e pessoas que convalescem de alguma doença.
O ovo não é gorduroso, cada unidade contém apenas 1,5 g de gordura saturada, menos do que uma fatia de queijo branco.

Receitas com Ovos – Clique no nome da receita para ver ingredientes, modo de preparo, dicas e a foto em tamanho grande:

salgadinhos-de-forno_blog Salgadinhos de Forno

Bolinho Café com Leite de Liquidificador

Bolo-Cuca de Banana com Iogurte

Bolo de Aipim (Mandioca ou Macaxeira) de Liquidificador

Bolo de Cenoura de Liquidificador

Bolo de Farinha de Milho Pré-cozida de Liquidificador

Bolo de Laranja de Liquidificador

Bolo de Santo Antônio (Bolo de Amendoim) de Liquidificador

Bolo Invertido de Liquidificador de Abacaxi, Banana ou Maçã

Bolo Mármore de Iogurte de Liquidificador

Bolo Nuvem de Chocolate de Liquidificador

Brigadeirão de Liquidificador

Panqueca de Chocolate de Liquidificador

Panqueca Versátil de Liquidificador

Pudim de Leite Condensado de Liquidificador

Pudim de Milho Verde de Liquidificador

Pudim de Pão Integral

Quindão do Papai

Bife à Milanesa no Forno

Bolinho de Bacalhau de Forno

Bolinho Rico de Arroz no Forno

Bolo Salgado de Liquidificador

Filé de Viola Empanado no Forno

Nhoque da Fortuna

Pão de Forma de Liquidificador

Pão Recheado de Atum

Pastel de Forno Facílimo

Pizzza de Liquidificador

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Cebola

maio 19, 2008

A origem da cebola é desconhecida, sabe-se, entretanto, que é conhecida desde a antiguidade, quando era largamente consumida dos gregos, romanos, egípcios e persas. É também um dos remédios mais antigos da civilização, sendo conhecida na antiga Mesopotâmia como cura para praticamente todos os males. Esquecida durante muito tempo, foi reabilitada pelos franceses, que viram nela excelente condimento. A cebola, irmã gêmea do alho, é um tempero universal.

Como escolher, conservar e usar

A cebola pode ser branca ou roxa, o que não gera notáveis diferenças quanto ao sabor e às propriedades nutritivas. As cascas servem apenas para a proteção da cebola, devendo ser retiradas e descartadas. Escolha cebolas com a casca brilhante e intacta (lisa e sem depressões). A cebola também deve estar firme: aperte sua extremidade superior com o polegar, se a cebola estiver “fofa” não compre, pois isso significa que ela está estragada. Se, ao cortar uma cebola ao meio, verificar que o centro dela está escurecido e viscoso, isso também indica deterioração e a cebola não deve ser consumida.

A cebola também pode ser comprada em forma de pasta de tempero ou desidratada. As pastas de cebola ou de cebola e alho costumam conter sal em sua fórmula. A cebola desidratada pode ser vendida sozinha ou acompanhada de outros temperos.

Quando colocada em local seco e ventilado, a cebola se conserva por muitos dias. Pode também ser guardada na gaveta própria para legumes, na parte inferior da geladeira, por bastante tempo.
A irritação nos olhos gerada quando se corta a cebola pode ser evitada mergulhando-a (descascada) em água fria antes de usá-la.

A cebola, usualmente utilizada em refogados, atuando como coadjuvante em praticamente todas as receitas salgadas, também pode ser o ingrediente principal de deliciosas sopas e tortas. As cebolas grandes podem ser recheadas, servindo de acompanhamento para diversos assados.

Propriedades e benefícios à saúde

A cebola é, como alimento e remédio, um dos mais valiosos vegetais. A cebola, o alho e o agrião são os melhores depurativos do sangue na medicina natural. É um alimento de alto valor mineralizante pelo seu conteúdo em cálcio, enxofre, fósforo, silício e outros sais, e em vitaminas A, B e C.
A cebola deve ser usada, tanto quanto possível, crua, assim ela retém seu valor nutritivo e medicinal. Entretanto, as cebolas contém uma substância resistente ao calor capaz de prevenir os inconvenientes das gorduras e de aumentar a atividade fibrinolítica do sangue, o que é indicado contra os coágulos e o infarto. Ao ingerir alimentos gordurosos, acrescente algumas cebolas, pois elas ajudarão a amenizar os efeitos danosos da gordura no organismo.

A cebola é um antioxidante exepcionalmente forte. Repleta de diversos agentes anticancerígenos, está especificamente associada à inibição do câncer de estômago. Afina o sangue, diminui o colesterol ruim, aumenta o colesterol bom, combate a asma e a bronquite crônica. É antiinflamatório, antibiótico e antiviral. Também é laxante e diurético. É um alimento de primeira ordem para os diabéticos, pois encerra uma “insulina vegetal”, a glucoquimina. Comida diariamente, a cebola favorece a cura das enfermidades da pele. É muito útil na desintoxicação e desinflamação do fígado. É calmante e, ao mesmo tempo, tônica para os nervos. Ajuda a conciliar o sono e é bom alimento para os trabalhadores intelectuais.

Clique no nome da receita para ver ingredientes, modo de preparo, dicas e a foto em tamenho grande:

 Hamburguer Caseiro de Forno
Bacalhoada de Forno
Bolo Salgado de Liquidificador
Estrogonofe de Frango ou Camarão
Carne de Soja Deliciosa
Feijoada Leve com Couve no Vapor
Galeto Assado com Farofa de Cream Cracker
Mocotó com Batata e Cenoura na Panela de Pressão

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Macaxeira, mandioca e aipim, são alguns dos diversos nomes pelos quais é conhecida essa raiz que tem uma casca rugosa, facilmente destacável, e que, dependendo da variedade, pode atingir até 1 metro de comprimento. Originária da América do Sul, ela já era largamente utilizada como alimento pelos índios muito antes do descobrimento do Brasil, tendo sido transmitido por eles o hábito de consumi-la. Com sua farinha são feitos beijus, pirões, sopas e mingaus, e seu polvilho é aproveitado para engomar roupas e na fabricação de explosivos.

A classificação da mandioca baseia-se no teor de uma substância tóxica que ela possui: o ácido cianídrico. A mandioca-brava ou mandioca-amarga ou simplesmente mandioca é rica em ácido cianídrico, mas perde sua toxicidade no processo do cozimento e torrefação. Com ela são produzidas a farinha e a tapioca. A mandioca é matéria-prima de duas receitas típicas do Pará: com um caldo amarelo extraído da mandioca e cozido por dias, é preparado o tucupi; com suas folhas e carne de porco salgada se prepara a maniçoba.

A mandioca-mansa ou mandioca-doce ou aipim tem as raízes comestíveis, podendo ser consumido cozido ou assado (com uma calda doce para o café da manhã ou puro como acompanhamento de carnes). É também essa variedade a utilizada para o preparo de bolos e pudins.

Valor nutritivo

O aipim é boa fonte de energia, não tem proteínas nem gorduras e contém grande quantidade de vitaminas do complexo B, principalmente a vitamina B3 (niacina), além de boa quantidade de potássio.

Como comprar

Normalmente o aipim já é vendido com a ponta cortada para que se possa verificar sua qualidade. O aipim deve apresentar uma coloração branca uniforme, sem manchas pretas (a variedade amarela é venenosa e não deve ser utilizada na culinária). Deve ter certa umidade e a casca deve soltar-se com facilidade. Também é possível encontrar o aipim já descascado embalado a vácuo.

Conservação

O aipim deve ser consumido logo após a compra. Mesmo se as raízes estiverem inteiras, não devem ser guardadas por mais do que dois dias. Estando partidas e desejando-se conservá-las por mais tempo, deve-se descascá-las e deixá-las na geladeira em uma vasilha coberta com água. No caso do aipim embalado a vácuo, deve-se observar a validade indicada na etiqueta. O aipim pode ser congelado, tanto ainda cru, quanto depois de cozido.

Como usar

Para uso culinário, o aipim deve ser bem lavado e cortado em pedaços grandes. Em seguida faça um corte no sentido do comprimento, atingindo toda a espessura da casca. Com a ponta de uma faca afiada, desprenda a casca. Corte pedaços mais ou menos do mesmo tamanho para que cozinhem ao mesmo tempo. O aipim só deve ser posto na água para cozinhar quando esta estiver fervendo, o que reduz o tempo de cozimento, evita que ele fique encharcado e propicia melhor aproveitamento de seu valor nutritivo. O cozimento deve ser feito com a panela aberta para que perca o ácido cianídrico por meio da evaporação. Pode-se também assar o aipim em forno alto (de preferência com a casca), bem lavado e embrulhado em papel alumínio. Como o tempo de cozimento varia muito, espete o aipim com um palito de churrasco, se este atravessá-lo sem dificuldades significa que está cozido.

Clique aqui para ler “Aipim, Mandioca e Macaxeira (parte 2): farinha, fécula, polvilho, tapioca e sagu”

Clique no nome da receita para ver ingredientes, modo de preparo, dicas e a foto em tamenho grande:

 Bolo de Aipim (Mandioca ou Macaxeira) de Liquidificador

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Laranja

maio 7, 2008

Acredita-se que é originária das regiões tropicais da Ásia e vem sendo cultivada desde os tempos mais remotos. No Brasil, foi introduzida na primeira metade do século XVI, na região litorânea do atual Estado de São Paulo.

Variedades

Existem muitas dezenas de espécies de laranja. Algumas das mais importantes no Brasil são:

- laranja-lima que tem a casca fina, é suculenta, suave e adocicada;

- laranja-pêra que é suculenta, ácida e de casca muito lisa;

- laranja-seleta que é a de maior tamanho, com polpa suculenta e sabor adocicado;

- laranja-da-terra que é levemente achatada, possui polpa não muito suculenta e sabor um tanto ácido;

- laranja-da-baía que é bem grande, quase sem sementes, com uma protuberância cônica e de polpa muito suculenta e adocicada.

Como comprar e conservar

A laranja é facilmente encontrada o ano inteiro. Para saber se está no ponto, basta verificar que esteja firme, mas cedendo à pressão dos dedos.

De preferência, guarde a fruta em local fresco e bem arejado.

Benefícios à saúde

Por ser rica em vitamina C, a laranja é poderoso remédio para a pressão alta; auxilia na síntese de colágeno (substância que oferece estrutura a músculos e tendões); contribui para a saúde dos dentes e gengivas; auxilia na absorção do ferro proveniente dos vegetais (como o feijão, por exemplo); garante resistência às infecções; e tem ação antioxidante, prevenindo o envelhecimento precoce.

A laranja encerra, ainda, diversas outras virtudes medicinais, sendo: depurativa do sangue; eficiente contra o artritismo; bom remédio para a asma e muito benéfica para as vias respiratórias; diurética; calmante do sistema nervoso e indicada nas nevralgias; especial contra as gripes, os resfriados e as febres; e, em muitos casos, remédio para dor de cabeça.

A laranja contém um conjunto completo de todos os tipos de inibidores naturais de câncer conhecidos: carotenóides, terpeno e flavonóides. Está associada a baixos índices de câncer de pâncreas, de mama e de estômago. Evita a arterioesclerose e aumenta a fertilidade masculina.

Os bebês, após o sexto mês de vida, devem tomar suco de laranja para que sejam supridas certas vitaminas (principalmente a vitamina C) que o leite, tanto o materno quanto o artificial, não fornecem.

Seu suco influi favoravelmente na eliminação do ácido úrico e impede a acidose (diminuição do pH sanguíneo), que acomete principalmente as pessoas sedentárias e as de idade avançada. Os que abusaram da carne na alimentação devem consumir muita laranja.

É bom ingerir tanto o suco como o bagaço, muito bem mastigado, de uma ou duas laranjas por dia. A celulose do bagaço desperta o peristaltismo e alimenta a flora intestinal, combatendo a prisão de ventre.

Clique no nome da receita para ver ingredientes, modo de preparo, dicas e a foto em tamanho grande:
 Bolo de Laranja de Liquidificador
Feijoada Leve com Couve no Vapor

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

A classificação da mandioca baseia-se no teor de uma substância tóxica que ela possui: o ácido cianídrico. A mandioca-mansa ou mandioca-doce ou aipim tem as raízes comestíveis, podendo ser consumido cozido ou assado. A mandioca-brava ou mandioca-amarga ou simplesmente mandioca é rica em ácido cianídrico, mas perde sua toxicidade no processo do cozimento e torrefação. Com ela são produzidas a farinha, a fécula, o polvilho e a tapioca.

Farinha de mandioca

A farinha de mandioca é extraída da mandioca-brava. A produção da farinha de mandioca é feita da seguinte forma: primeiro, as raízes são descascadas, lavadas e raladas. A massa ralada, depois de prensada para a extração da parte líquida, passa por um processo de esfarelamento ou descompactação para que possa ser peneirada. Por fim, a farinha é torrada e, depois de fria, é empacotada para a venda.

A farinha constitui um dos principais produtos da mandioca, e seu uso é muito difundido em todo o país, fazendo parte da refeição diária de muitos brasileiros. É consumida principalmente como farofa. É um alimento rico em carboidratos e fibras e, quando integral, contém um pouco de proteína, cálcio, fósforo, sódio e potássio.

Fécula de mandioca ou polvilho doce

A diferença entre fécula e amido é muito pequena e reside apenas no fato de cada um deles ser retirado de uma parte diferente do vegetal. Enquanto que o amido é extraído das partes aéreas comestíveis dos vegetais (sementes), a fécula é extraída das partes subterrâneas (tubérculos, raízes e rizomas). Sendo assim, temos, como exemplo, que o produto amiláceo extraído do milho é chamado amido e o da batata é chamado fécula.

A fécula de mandioca, também chamada de polvilho doce, é usada na culinária de forma semelhante ao amido de milho (maisena), podendo ser utilizada como espessante (molhos e mingaus) ou substituir parte da farinha de trigo nas receitas de pães e bolos, sem modificar seu sabor. Também pode ser congelada depois de incorporada ao produto final e não contém glúten. Além disso, possui um custo menor do que os outros amidos.

Polvilho Azedo

O polvilho azedo é um derivado da fécula de mandioca. Ele é um amido modificado por oxidação, com a propriedade de expansão que outros amidos nativos não têm. A expansão sem uso de agentes levedantes (fermento químico ou biológico) permite seu uso na fabricação de biscoitos de polvilho e pães de queijo.

Tapioca e Sagu

A tapioca é um produto granulado obtido através da transformação parcial da fécula de mandioca em goma. É utilizado no preparo de cuscuz, bolo e pudim.

Tapioca pérola ou sagu é um tipo de tapioca de grãos esféricos regulares. Tradicionalmente o sagu é cozido com vinho tinto e açúcar, mas também pode ser preparado com sucos de frutas (uva ou laranja) ou mesmo com leite.

Clique aqui e leia “Aipim, Mandioca e Macaxeira (parte 1): escolher, conservar e usar”

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Batata

abril 18, 2008

BATATA INGLESA

Os colonizadores espanhóis da América levaram a batata para a Europa. Durante muito tempo, entretanto, ela foi considerada alimento de segunda categoria. Seu uso se popularizou apenas depois que Luís XVI, rei da França, o impôs ao povo, para substituir o trigo que estava em falta na época.

Devem ser firmes, ter casca lisa e tamanho uniforme. Não se deve comprar as batatas com nódulos, partes murchas, pontos pretos ou manchas verdes. Batatas com brotos estão velhas.
Devem ser guardadas em lugar seco, arejado, longe de luz e bem protegidas de insetos. Também pode-se colocá-las na gaveta da geladeira. Não devem, porém, ser amontoadas, mas espalhadas, para evitar germinação nas batatas que ficam embaixo.

A batata descascada logo escurece, em conseqüência da oxidação da vitamina C. Para evitar que isso ocorra, basta colocá-las imediatamente numa vasilha com água.

Por ser pobre em proteínas e gorduras, a batata é um alimento de fácil digestão. É altamente nutritiva, substituindo o pão branco com vantagem. Contém vitamina A, B1, B2, C e niacina, e vários minerais como, por exemplo, o cálcio.

BATATA-DOCE

Nativa de terras americanas, a batata-doce é a raiz de uma planta rasteira que não exige cuidados especiais no cultivo e se multiplica com extrema facilidade. No Brasil é bastante conhecida, mas seu uso é difundido no norte e nordeste, onde se costuma comê-la cozida ou assada na primeira refeição do dia.

Deve ser lisa, firme e sem cortes ou sinais de deterioração, pois seu processo de apodrecimento é muito rápido. E, ainda que apenas um pedaço pequeno esteja estragado, todo o resto adquire gosto ruim. Deve-se conservá-la da mesma forma que a batata inglesa.

Ao prepará-la, convém manter a casca, para preservar seus nutrientes. Para isso, deve-se lavá-la esfregando-a com uma escovinha e enxugando com papel toalha. Depois de assada ou cozida a batata, a casca pode ser retirada com facilidade e não deve ser consumida.
Combina muito bem com carne de porco, cabrito e presunto. Tem sabor muito semelhante ao da castanha européia, podendo substituí-la em algumas preparações.

É boa fonte de vitaminas C e B6, potássio e outros minerais, e excelente fonte de vitamina A.

BATATA-BAROA

Também conhecida por mandioquinha, é uma raiz comestível, como a mandioca. O nome batata-baroa originou-se do fato de ter sido introduzida no Brasil pelo barão de Nova Friburgo que a trouxe das Antilhas.

Quando de boa qualidade, é firme, lisa, de cor amarelo clara, com as extremidades viçosas. Pode ser conservada durante aproximadamente uma semana, depois torna-se mole e enruga, perdendo o sabor.

É muito utilizada para sopas e purês, principalmente na alimentação das crianças. Sendo usada, ainda, cortada em fatias finas e fritas em óleo, acompanhando carnes ou assados.

É um bom diurético. E contém niacina, substância que evita problemas de pele, do aparelho digestivo e do sistema nervoso.

Clique no nome da receita para ver foto em tamanho grande, ingredientes, modo de preparo e dicas:

 Nhoque da Fortuna
Bacalhoada de Forno
Caldo Verde
Mocotó com Batata e Cenoura
Rabada com Batata e Agrião

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Agrião

abril 11, 2008

Como escolher e usar

Deve-se escolher o agrião que tenha folhas bem verdes e firmes. Folhas amareladas e murchas indicam um começo de fermentação que desaconselha seu uso.

Dessa hortaliça aproveitam-se as folhas e os talos. O principal valor nutritivo do agrião está, em grande parte, nos talos. Um dos erros que muitos cometem é, pois, o de comer só as folhas e desprezar os talos, que incorporam importantes princípios ativos.

Bem lavada, galho por galho, essa hortaliça deve, antes de ser utilizada em saladas, ser colocada de molho em uma solução clorada. Tal solução deve ser preparada com um produto à base de hipoclorito de sódio vendido em farmácias e supermercados como higienizador para verduras.

Pode ser comido ao natural, como salada, complemento de sanduíches e recheio de assados, mas também pode ser ingrediente de sopas, cremes e purês.

Propriedades nutricionais

O agrião é composto de 93% de água. Cada 100 g de agrião contém cerca de 23 calorias.
O agrião é um dos vegetais folhosos com maior valor nutritivo, sendo, por isso, altamente recomendado seu consumo freqüente em saladas cruas.

É riquíssimo em vitaminas e minerais. Nele se encontra mais ferro do que na couve e na alface. Contém, igualmente, boa proporção de cobre. Também é fonte de vitamina A, B1, B2 e B3. É alimento rico em enxofre, cálcio, vitamina C, iodo e ferro, minerais de grande importância para o organismo.

Benefícios à saúde

Tonifica o estômago e abre o apetite. É diurética, adstringente, antiescorbútica, refrescante, fortificante, antidiabética e depurativa. Apresenta real valor contra as enfermidades da pele, como herpes, borbulhas etc. É também bom para curar icterícia. Tem sido igualmente recomendado nas enfermidades do fígado e dos rins.

Em saladas, come-se agrião para combater o reumatismo, gota, artritismo, inchação das glândulas, debilidade do coração e nervos. O suco de agrião tem virtudes vermífugas.

O agrião encerra também apreciável quantidade de iodo, elemento indispensável ao organismo humano e cuja falta perturba o funcionamento da glândula tireóide.

As mulheres grávidas não devem comer agrião em grandes quantidades, pois se supõem que possa ter efeito abortivo.

Clique no nome da receita para ver a foto em tamanho grande, ingredientes, modo de preparo e dicas:

 Rabada com Batata e Agrião

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Mocotó

março 31, 2008

A “pata” do boi é chamada de mocotó. Em uma de suas extremidade estão as unhas e na outra o calcanhar do animal (mais conhecido como “joelho”).

Na hora de comprar o mocotó, escolha um de odor suave, cor clara, miolo rosado e sem manchas escuras.

Para calcular a quantidade que deve ser comprada para a sua receita, tenha em mente que 100 g de mocotó rendem cerca de 30 g aproveitáveis.

O mocotó é pobre em calorias e gorduras, rico em cálcio e contém vitaminas do complexo B.

A geléia de mocotó é de fácil digestão, sendo, por isso, recomendada às crianças e pessoas em convalescença.

O mocotó pode ser congelado para que se conserve por mais tempo. Use sempre um pote plástico tampado para acondicionar a carne no freezer.

Clique no nome da receita para ver a foto em tamenho grande, ingredientes, modo de preparo e dicas:

 Mocotó com batata e cenoura

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Soja

março 21, 2008

Soja, feijão-soja, feijão de soja ou feijão chinês são nomes dados às sementes de uma planta pertencente à família das Leguminosas (a mesma do feijão).

Propriedades nutritivas e benefícios à saúde

O que mais caracteriza a soja sob o aspecto nutritivo é a composição das suas proteínas que, apesar da origem vegetal, são de alto valor biológico, assemelhando-se bastante às proteínas do leite, da carne e do ovo. Apresenta baixo teor de gorduras saturadas e é boa fonte de sais minerais (como o cálcio, o ferro e o magnésio) e vitaminas (principalmente as do complexo B, E e K).

A soja contém isoflavona, um fitormônio que ajuda na regulação hormonal. Alivia os sintomas da menopausa e ajuda a controlar o diabetes, a osteoporose e a arteriosclerose.

A soja tem um potencial anticancerígeno impressionante. Possui pelo menos cinco agentes anticancerígenos conhecidos. Combate o desenvolvimento dos hormônios relacionados ao câncer de mama e de próstata e bloqueia totalmente ou retarda o desenvolvimento de câncer de cólon, boca, pulmão, fígado, pâncreas e esôfago. Aparentemente, apenas a proteína de soja tem propriedades protetoras: isso inclui a soja, a proteína de soja texturizada, o leite de soja, o tofu, o missô e o tempeh, mas não inclui o molho de soja e o óleo de soja.

Soja em Grãos

Pode ser usada em saladas e caldos, de forma parecida ao feijão. Antes de preparar, deve-se deixar de molho durante 12 horas e retirar a película que envolve o grão, o que facilita o cozimento e permite um maior aproveitamento de seus nutrientes.

Carne de soja (proteína texturizada de soja)

É obtida do grão da soja desengordurado através de um processo que combina alta temperatura e pressão. É rica em proteína de origem vegetal e de baixíssimo teor de gordura. Pode se apresentar em pedacinhos pequenos (semelhante à carne moída) ou em pedaços grandes (parecidos com cubos de carne). Também pode ser clara (como a carne de frango) ou escura (como a carne bovina). Pode ser utilizada em diversos pratos em substituição à carne. Antes de qualquer preparação, deve ser deixada de molho em água quente por pelo menos 30 minutos ou até que esteja macia.

Leite de soja (extrato de soja)

Seu processo de extração é feito a partir da retirada da casca do grão que em seguida é deixado de molho e depois prensado a fim de extrair toda a sua parte líquida. É bem concentrado em vitaminas e minerais, podendo ser usado em substituição ao leite de vaca em diversas receitas, na mesma proporção. É de fácil digestão e, por não conter lactose, pode substituir o leite de vaca na alimentação de pessoas com intolerância a essa proteína.

Shoyu (molho de soja)

É um molho fermentado a base de soja em grão. É obtido através da mistura com outros cereais (como, por exemplo, o milho) e sal. É um condimento muito apreciado na culinária oriental.

Farinha de Soja

É obtida através da moagem do grão da soja. Contém fibras que ajudam no bom funcionamento intestinal. Pode ser usada em substituição às farinhas ou parte delas em diversas receitas.

Lecitina de soja

Tem apresentação líquido-pastosa e cor escura. Pode ser usada como ingrediente de diversas receitas.

Missô

É uma pasta produzida através da fermentação natural dos grãos da soja. Essa fermentação pode ser feita junto a outros cereais e salgada. Tem consistência pastosa e cor marron. É usado para dar sabor a sopas, peixes e molhos de saladas. Deve-se usa-lo sempre após o cozimento, pois ele não deve ser levado ao fogo.

Tempeh

É produzido através da fermentação induzida de grãos de soja, se transformando em uma massa branca compacta. A fermentação produz também agentes antibióticos que aumentam a resistência do organismo contra infecções intestinais. A ação das enzimas durante a fermentação faz com que os grãos se tornem mais fáceis de digerir.

Clique no nome da receita para ver a foto em tamenho grande, ingredientes, modo de preparo e dicas:

 Carne de Soja Deliciosa 

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Saiba Mais: Chocolate

março 17, 2008

Sabe-se que astecas e maias consumiam chocolate bem antes da chegada dos espanhóis à América e que, nas grandes festas que celebravam na época da plantio do cacau, a planta era oferecida aos deuses. Segundo uma lenda desses índios americanos, foi o deus da Lua que deu a planta aos homens, depois de roubá-la do país dos filhos do Sol.

Naquela época, os nobres usavam as sementes do cacau como moedas nas transações comerciais. Essas sementes serviam ainda para pagar os tributos ao imperador.

Os indígenas chamavam cacahuatl o fruto que, depois de queimado dava origem a tabletes marrons que os sacerdotes comiam; e tchocolath a bebida extraída do fruto.

O cacau era então um alimento muito difundido. Misturado com farinha de milho, cozido em água e temperado com pimenta-caiena, era um dos grandes alimentos populares. Os nobres também o consumiam, mas de maneira mais sofisticada: uma mistura de cacau, mel, suco de uma espécie de agave, canela e baunilha.

A princípio, o preparado consumido na América não teve aceitação na Europa. Tanto que, quando os piratas europeus capturavam um navio carregado de cacau, o produto era atirado ao mar. Por fim, os europeus aprenderam a preparar o chocolate, forma pela qual o cacau tornou-se muito popular, e terminaram por disseminar o cultivo da planta pelo mundo.

O cacau e seus produtos

A manteiga de cacau e o cacau em pó (ou chocolate em pó) são conseguidos através de uma única operação: da massa feita com as favas do cacau (massa de cacau) se extrai a manteiga, e a parte restante, depois de tratada, se transforma no chocolate em pó.

O chocolate amargo é composto de massa de cacau e manteiga de cacau. O chocolate meio amargo contém massa de cacau, manteiga de cacau e açúcar. O chocolate ao leite é feito com massa de cacau, manteiga de cacau, açúcar e leite em pó. E o chocolate branco não contém massa de cacau, sendo seus ingredientes simplesmente a manteiga de cacau, o açúcar e o leite em pó.

Uso culinário

O chocolate em pó é ideal para preparar massas de bolo, biscoitos e docinhos. É muito usado em massas leves e fofas, pois não altera sua consistência.

O chocolate em barra pode ser utilizado em cremes, mousses, bombons recheados, trufas, pavês, tortas, recheios e coberturas.

Valor nutritivo

O chocolate contém alto teor de gordura e açúcar, com exceção do chocolate em pó, que, por não ter manteiga de cacau, fornece menos calorias. É rico em sais minerais e vitaminas do complexo B. Estimulante do sistema neuromuscular, seu consumo beneficia as funções renais e cardíacas e alivia o cansaço intelectual. Fácil de digerir, não deve, no entanto, ser consumido em excesso, o que pode provocar um desequilíbrio alimentar. O chocolate também auxilia no combate à depressão, por ser rico em metilxantina.

Clique no nome da receita para ver a foto em tamanho grande, igredientes, modo de preparo e dicas:

 Bolo Nuvem de Chocolate de Liquidificador
Brigadeiro de Chocolate sem manteiga
Panqueca de Chocolate

Clique aqui e veja todas as receitas

Clique aqui e saiba mais sobre os alimentos

Aviso Importante: Este é um blog de culinária. O objetivo dos textos sobre os alimentos é meramente o de estimular o leitor a consumir uma dieta variada e nutritiva. Todas as informações a respeito dos benefícios advindos do consumo diário e contínuo de determinados alimentos são obtidas através da pesquisa realizada em publicações sobre o assunto. O tratamento de doenças deve ser realizado com acompanhamento médico.

Clique aqui para ler a bibliografia

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 57 outros seguidores